Dicas de Climb (Especialmente para as meninas)

No último encontro feminino de Parkour, várias meninas me pediram dicas de como climbar. Eu procurei explicar mais ou menos alguns pontos que eu acho que são básicos e resolvi então resumi-los aqui. Lembrando, eu NÃO sou nenhum tipo de especialista em climb e isso NÃO  é um tutorial. São apenas sugestões, experiências minhas e que eu acho válido compartilhar. Outras pessoas podem pensar e fazer diferente.    

Antes de mais nada, o que eu vou falar aqui será mais útil pra quem já consegue climbar segurando atrás do muro, ou seja, fazendo tudo na força. Existem inúmeros tutoriais no youtube explicando passo-a-passo como fazer todo tipo de climb, consulte-os se quiser ou precisar de algo mais didático e/ou pontual. Como eu disse, não é minha intenção aqui fazer um. Partindo pro que interessa…

01) Fortaleça-se. Não dá pra enganar, ou você consegue se sustentar na posição de cat leap tranquilamente e ter relativa força pra puxar seu corpo pra cima, ou a coisa vai ficar bem complicada. Você precisa ter força no braço (apele para as flexões, barras e exercícios afins. Deixe o tríceps “bombadão” rsrs) e no ABDÔMEN. Engana-se quem acha que climb é só braço. Ter um abdômen fortalecido é essencial pra conseguir ficar na posição correta de climb e depois “explodir” no movimento. Eu normalmente “travo” ele assim que me sustento no muro. Façam seus treinos físicos bem arretados e se sintam suficientemente preparadas para encarar aquela parede.

02) Climbar da seguinte forma exige técnica, que é onde muitas meninas se enrolam:

O movimento é um só, você “puxa” o muro ao mesmo tempo que que dá uma joelhada para cima. Lembrem-se, AO MESMO TEMPO. Só que não é uma puxadinha qualquer, imagine que você tem que afundar o muro no chão. Esse é um movimento explosivo. Tem que ser rápido e com força total, do contrário você não conseguirá subir o suficiente. Muitas pessoas costumam colocar um pé em cima e o outro logo abaixo para evitar que o primeiro escorregue e o joelho acabe batendo no muro ou a própria pessoa caia. Perceba que eu não faço isso, mas é uma opção minha. Procure fazer o que é mais seguro e melhor para você. Eu também não estico os meus braços completamente, eu os deixo semiflexionados, pois para mim fica mais fácil de puxar. Aconselho a fazerem o mesmo. Sair lá de baixo exige um pouco mais de força e explosão. Procure fazer o teste e veja o que é melhor.

03) Mentalize o movimento, pense no que está fazendo, se concentre. Não adianta ficar se rastejando no muro aleatoriamente. Eu vejo muitas pessoas fazendo dez repetições erradas do mesmo movimento. Se foram dez e nada mudou, você pode estar fazendo algo errado ou deixando de fazer algo. Procure refletir sobre o movimento completo, mas também sobre alguns detalhes: um pé que deveria estar em cima, está muito embaixo; não está segurando firme no muro; esticou demais os braços, etc. Use uma câmera, peça para alguém olhar e te ajudar, observe quem já sabe.

04) Está difícil nesse muro liso? Tenta começar por outro mais aderente. Tente fazer com tênis, tente sem tênis. Procure um que seja mais fácil a princípio, depois vá tentando em outros.

Islany Alencar conseguiu seu primeiro climb “reto” num muro super aderente. Hoje ela já encara outros bem mais escorregadios. Vale a pena tentar o mesmo.

05) Tenha vontade de fazer a coisa! Use a raiva a seu favor. Não perca o foco.

Não vou mentir, aprender a climbar bonitinho desse jeito foi muito difícil. Eu chegava mais cedo nos treinos só pra ter o muro pra mim e tentar fazer o bendito. Saía às vezes irritada, xingava a parede e não entendia porque não conseguia. Eu compreendo a frustração de algumas meninas, passei pela mesma coisa. Mas tenha certeza de que um treino sério e muita força de vontade faz você climbar até em sabão. Apesar de tudo, é bom lembrar que não se deve focar apenas em movimentos isolados. Passei um bom tempo encucada com o tal do climb e do planche e deixei de lado todo o resto. Foi a maior besteira que já fiz. Não se prenda a essas coisas como se a finalidade maior fosse elas mesmas. Treine, mas treine pensando no todo. Não adianta nada climbar perfeitinho se teu flow tá uma negação. É isso.

Beijo grande e espero ter ajudado em algo!

Anúncios

Treino em barra fixa

Meninas,  aqui estão alguns dos exercícios que normalmente eu faço para trabalhar a parte superior do corpo utilizando a barra. Como eu disse, são só alguns. Me ajudaram muito no planche e no climb. Se você ainda não consegue consegue fazer barra, é uma boa começar se pendurando, depois tentando puxar ser corpo, ou então, com a ajuda de alguém, tentar subir mesmo. No meu caso, eu comecei fazendo flexões, já pra ganhar alguma força, e depois parti para as barras. Enfim, é tudo questão de esforço (literalmente!) e paciência. Uma hora essa bagaça sai. =)

Nesse último exercício você não precisa necessariamente fazer barra, se encontrar uma menor é só pular em cima e começar as flexões. 😀

P.S. Isso não é um tutorial nem algo do tipo! A intenção aqui é somente mostrar algumas das coisas que eu faço nos meus treinos físicos, ok?

Beijos!


Sol & Treinos

Título fraquinho, né? Mas pode ter certeza de que o pessoal daqui de João Pessoa vai adorar!

É que nas últimas semanas (ou meses, sei lá), Jampa City estava debaixo d’água, e os nossos treinos também! Pra quem não sabe, isso aqui fica um verdadeiro caos nessa época: cidade pequena, apertada, sem infraestrutura adequada e um monte de outras coisinhas. Pra completar, a maioria dos nosso locais de treino são rodeados por terra, já imaginou, né?

Eu nunca vi o pessoal daqui tão ligado em meteorologia quanto nos últimos tempos. Consultávamos o site até o dia do treino na esperança de ver a imagem de um solzinho lá, e nada. No fim, a solução foi apelar para os treinos físicos. E minha casa, como de praxe, serviu de centro de treinamento e fofocas.

Acontece que nessa semana a coisa mudou *-*. Nosso majestoso e glorioso deus Rá resolveu dar as caras, e nós também! Sabe aquela prova que você tinha pro dia seguinte e precisava estudar? O jantar de 1 anos de namoro? A necessidade de sua mãe de ser levada ao hospital porque quebrou a bacia? Tudo isso foi deixado de lado, my friend! Calçamos o tênis e fomos treinar feito crianças felizes. =D

Também aproveitamos a oportunidade, claro, para realizarmos as reuniões do Jamparkour. Responsabilidade é responsabilidade, né? Aliás, deixo aqui o link do blog do grupo pra quem quiser dar uma conferida: http://jamparkour.wordpress.com/ 

Por fim, como puderam perceber, o post deixa transparecer duas coisas: uma é a minha felicidade em retornar aos treinos com meus amigos e a outra é a falta de assuntos mais interessantes. Há! =D

Beijos e bons treinos! 


Postura e Evolução

Desde a minha última conversa com uma amiga, também traceuse, Tatiana Silva, eu fiquei com as mãos coçando para escrever algo sobre postura e evolução das meninas nos treinos. E eu falo no sentido físico da coisa.

Vou direto ao ponto. Se você quer evoluir, treine! Não adianta fazer corpo mole nos treinos ou se queixar da dificuldade dos exercícios. É claro que para nós, mulheres, é muito mais difícil executar determinados movimentos no Parkour, principalmente os que exigem mais força. E é por isso mesmo que temos que trabalhar o dobro para conseguir fazê-los. Demanda mais tempo? Claro que sim. E qual o problema em evoluir mais lentamente? Nenhum! Porque você não deve nada a ninguém e não tem por obrigação acompanhar o ritmo de outro. A questão é que se você quer atingir o seu máximo, se quer ver do que realmente é capaz independente do tempo que isso demorar, você tem que trabalhar duro.

Muitas meninas chegam para mim e perguntam como eu consigo fazer isso ou aquilo, como eu tenho tanta força, etc. Bem, eu treinei bastante para isso, e não somente nos treinos com o pessoal, mas em casa também. Aliás, principalmente em casa. Me dedicava muito aos treinos físicos. Logo de cara pedi ao meu pai uma polibarra. Bem, ele não comprou.. fez uma com as próprias mãos. Hoje ele fala que eu estou mais forte do que ele. =D

O que eu quero dizer, no final das contas, é que sem essa dedicação fica meio difícil sair do mesmo lugar. Se você não se importa de ficar como está, não reclame. Mas se quer algo mais no seu desempenho, trabalhe para isso. Admito que isso tudo seja um desabafo, mas é que nunca vi tanta moleza e conformidade nos treinos femininos. Eu realmente não tenho nada a ver com a atitude/postura/evolução das meninas que treinam, nada mesmo. Mas como tenho a liberdade de fazer isso, resolvi deixar aqui a minha opinião sobre o assunto.

P.s. O post deve ter ficado meio confuso, qualquer coisa culpem a Tati que me fez começar a escrever aqui rsrsr. Beijos, sua bruta!